Bem-vindo a Telediu!

Mancha no colo do útero


27/06/2019
images

As manchas brancas que aparecem no exame do colo uterino são lesões decorrentes de cervicite crônica (inflamação crônica do colo), geralmente sem significado clínico importante, ou então, lesões causadas pelo HPV, que têm importância variável, dependendo do tipo de imagem.



Essas lesões são geralmente imperceptíveis a olho nu, contudo, podem ficar brancas na aplicação de ácido acético a 3-5% (vinagre branco) e podem ser iodo-negativas com a aplicação de solução de iodo. Não há sintomas específicos nem características clínicas que indicam a presença da manchinha.
 

 
A colposcopia (exame através de um colposcópio, que é um aparelho binocular de grande aumento), possibilita uma visão acurada dessas manchas e outras lesões. A colposcopia é um procedimento realizado para examinar a vagina, a vulva e o colo do útero. É um exame extremamente minucioso e exige um ginecologista treinado na técnica. Geralmente é necessário fazer um curso de especialização em Colposcopia e Patologias do Trato Genital Inferior.



A colposcopia permite verificar pequenas nuances de relevo, de extensão e coloração das imagens de maneira que se pode deduzir o grau de importância e gravidade dela. Dependendo dos achados, o ginecologista poderá recomendar um acompanhamento periódico, uma biópsia, uma cauterização ou até mesmo uma cirurgia.

A biópsia é realizada durante o exame de colposcopia quando são identificadas lesões suspeitas de serem pré-cancerígenas ou cancerígenas. O material retirado é encaminhado para um exame com um patologista, o qual dará o diagnóstico preciso da gravidade ou não da lesão.
 
O resultado do exame patológico pode resultar em diagnóstico de cervicite crônica ou em dois graus da doença: NIC de baixo grau (NIC 1) e NIC de alto grau (NIC 2 e 3). As lesões de alto grau são consideradas como genuínas precursoras da neoplasia invasiva.
A infecção pelo HPV é transmitida através do contato sexual e os fatores de risco estão intimamente relacionados com o comportamento sexual (por exemplo, número de parceiros sexuais, relação sexual em idade precoce) e outros: tabagismo, multiparidade, infecção por Chlamydia trachomatis, deficiência de micronutrientes e uma dieta deficiente em vegetais e frutas.


As manchas do colo do útero causadas pelo HPV, ocorrem em cerca de 20-30% das mulheres entre 20 e 24 anos de idade.
Apesar da exposição frequente das mulheres ao HPV, o surgimento da neoplasia cervical é pouco comum. A maioria das anomalias cervicais causadas pela infecção do HPV tem pouca probabilidade de progredir a NIC ou neoplasia do colo uterino de alto grau, visto que a maioria regride espontaneamente ou são tratadas a tempo.
 
 
  
Palavras-chave: manchas do colo uterino, colo uterino, colposcopia, cervicite, HPV, Papanicolaou, prevenção do câncer, biópsia do colo uterino, NIC, fatores de risco.
 
Prof. Antônio Aleixo Neto
Mestre em Saúde da Mulher pela UFMG
Mestre em Saúde Pública pela Harvard University